Foto:Assessoria de Imprensa
27/12/2018 08:42
USINA HIDRELÉTRICA INICIA OPERAÇÃO DA PRIMEIRA UNIDADE GERADORA

Começou a operar em fase de teste nesta quarta-feira (26.12), no município de Nova Canaã do Norte (MT), a primeira unidade geradora da Usina Hidrelétrica Colíder, uma obra da Companhia Paranaense de Energia (Copel).  A solenidade contou com a presença da governadora do Paraná, Cida Borghetti, do presidente da Copel, Jonel Iurk, do diretor de Geração e Transmissão, Sergio Luiz Lamy, e dos prefeitos Noboru Tomiyoshi, de Colíder, e Rubens Roberto Rosa, de Nova Canaã do Norte.

Com capacidade para produzir 300 megawatts e gerar energia para 850 mil pessoas, o empreendimento deverá ser integrado ao Sistema Interligado Nacional (SIN) no primeiro trimestre de 2019, após a liberação das licenças ambientais pelo governo de Mato Grosso. A ‘saída’ da energia da Usina de Colíder acontece através da linha de transmissão conectada à subestação localizada no município de Cláudia. Essa linha tem 64 quilômetros de extensão e opera em extra alta tensão de 500 mil volts.

“É uma obra moderna que hoje inicia a sua fase de testes, e aguarda apenas a liberação da licença ambiental do governo de Mato Grosso para entrar definitivamente em operação, mas que deverá sair nos próximos dias. É um investimento que trará grande retorno financeiro e social à toda esta região”, destaca a governadora paranaense Cida Borghetti.

Para o Prefeito Rubens Roberto Rosa (Rubão), durante a cerimônia de inauguração saudou a todos os presentes e disse estar muito feliz com esse contato com a diretoria da empresa, deu as boas vindas aos representantes e disse estar à disposição de todos nesta nova etapa da Usina Hidrelétrica.

COMPENSAÇÃO FINANCEIRA

Instalada no rio Teles Pires, a Usina Colíder beneficiará com recursos financeiros os municípios de Colíder (R$ 774 mil por ano), Cláudia (R$ 103 mil), Nova Canaã do Norte (R$ 541 mil) e Itaúba (R$ 3,2 milhões) e o governo de Mato Grosso (R$ 1,8 milhão). Isso é possível porque a Copel destina todos os meses, via Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), 7% do valor da energia gerada como forma de compensação financeira pela utilização de recursos hídricos aos municípios atingidos pelo reservatório do empreendimento.

Texto/Fonte: